III Encontro JMV – Caridade

III Encontro  de Espiritualidade Vicentina

1-Tema: Caridade.

2- Motivação:12291938_1639907299592686_4936427625776755870_o

– Comentário:
Caridade é uma ação de ajuda a alguém sem busca de qualquer recompensa. A prática da caridade é um notável indicador de elevação moral e uma das práticas que mais caracterizam a essência boa do ser humano, sendo, em alguns casos, chamada de ajuda humanitária. A caridade é a virtude pela qual amamos a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a nós mesmos pelo amor do próprio Deus. Jesus faz da caridade o mandamento novo, a plenitude da lei. A caridade é “o vínculo da perfeição” (Col 3,14) e o fundamento das outras virtudes, que ela anima, inspira e ordena: sem ela “não sou nada” e “nada me aproveita” (1 Cor 13,1-3).

– Oração:

Senhor Deus, seduzido por Ti,
São Vicente transformou-se
“naquele que se fez disponível aos pequeninos”.
Ele foi testemunha de Teu imenso respeito
para com todo homem.
Por sua intercessão, Te pedimos:
torna nossos corações humildes, simples, cheios de amor,
para que seguindo seus passos
nos tornemos disponíveis aos que sofrem e
aos que têm fome;
sejamos ternamente respeitosos
para com os que caminham conosco.
Faze-nos UM no amor;
fracos e fortes se amem e se ajudem mutuamente.
Dá-nos viver com a lâmpada acesa,
as mãos abertas a fim de sermos
sinal, apelo, encorajamento,
para os novos operários na tua seara que amadurece! Amém

– Canto:

Ref: Prova de amor maior não há que doar a vida pelo irmão! (bis)
1- Eis que eu vos dou um novo Mandamento:
“Amai-vos uns aos outros como Eu vos tenho amado”.
2- Vós sereis os meus amigos se seguirdes meu preceito:
“Amai-vos uns aos outros como Eu vos tenho amado”.

3-Iluminação Bíblica: 1Cor 13, 1-8ª.

“Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, se não tiver caridade, sou como o bronze que soa, ou como o címbalo que retine. Mesmo que eu tivesse o dom da profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência; mesmo que tivesse toda a fé, a ponto de transportar montanhas, se não tiver caridade, não sou nada. Ainda que distribuísse todos os meus bens em sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, se não tiver caridade, de nada valeria. A caridade é paciente, a caridade é bondosa. Não tem inveja. A caridade não é orgulhosa. Não é arrogante. Nem escandalosa. Não busca os seus próprios interesses, não se irrita, não guarda rancor. Não se alegra com a injustiça, mas se rejubila com a verdade. Tudo desculpa, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. A caridade jamais acabará”.

4- Iluminação Vicentina:

“Não basta ter caridade nas palavras e no coração; ela deve manifestar-se nas ações, e somente à medida que gera amor nos corações, é perfeita e chega a ser fecunda”. (São Vicente de Paulo)

sao_vcente

5- Reflexão pessoal e partilha:

1) Esforço-me para ver com caridade a realidade das pessoas com quem convivo, sobretudo as que estão em situação de dificuldades na vida?
2) Quando sou capaz de comover-me pela caridade, deixo que o sofrimento alheio toque profundamente meu coração, favorecendo gestos concretos de ajuda e colaboração?

Anexo: Pequeno comentário para a iluminação bíblica.

Paulo, na Primeira Carta aos Coríntios, escreve o conhecido Hino à Caridade. A forma como ele expressa a Caridade é magnífica. Mas afinal, o que é a Caridade? Caridade não é só dar a esmola. É ainda mais que isso. É amar aquele que precisa! Ajudar… É um conjunto de boas ações que podemos e devemos fazer uns pelos outros. Paulo diz que não adianta falar em línguas estranhas ou mesmo ter a capacidade de falar várias línguas ou idiomas, se não praticarmos a caridade. Seríamos semelhantes ao sino que quando é tocado faz ecoar fortemente o seu som, contudo nada mais do que isso. As nossas palavras ecoariam no ar sem ter sentido verdadeiro. Falar em línguas sem praticar o amor é o mesmo que ficar fazendo apenas barulho. Ele diz que não adianta também ter o dom de profetizar e o dom do conhecimento e segredos ocultos e nem ter o dom da fé, pois se não praticar a caridade nada disso me valerá. Ele continua explicando sobre a importância da caridade em nossas vidas. Mesmo que eu me desfaça de tudo o que possuo e até mesmo ofereça meu corpo como sacrifício em lugar de alguém, nada disso me adiantaria se eu não tivesse caridade verdadeira para com todos.

Portanto Paulo, em sua experiência mística de Cristo, assimilou em profundidade o essencial do evangelho que é a Caridade. Após expor aos Coríntios o mistério da Igreja como Corpo de Cristo e enumerar os diversos carismas (ser apóstolo, profeta, doutor, realizar milagres e curas, atender os pobres, presidir às comunidades, falar línguas e interpretá-las, etc.); elel escreve, então, seu hino a caridade. Em contraposição ao amor egoísta, ele vai falar do amor de doação que visa somente ao bem total do próximo: A boa disposição do ânimo para com todas as pessoas, isto é, a mobilização pelos sofrimentos do próximo.

Pe. Alexandre Nahass Franco,CM
Diretor Provincial da JMV – Província Rio de Janeiro